domingo, 31 de julho de 2016

História

História
O futebol chegou no Amazonas entre o final do século XIX e os primeiros anos do século XX, sendo que, em Manaus, era praticado basicamente por ingleses. Os primeiros clubes de Manaus surgiram ainda no inicio do século, sendo que recentemente foi descoberto por um pesquisador local aquele que pode ser o primeiro clube fundado no estado, o Racing Club Amazonense, em 13 de Maio de 1906. A existência desse e de outros clubes antes de 1914 mostra que o futebol no Amazonas surgiu bem antes do primeiro torneio estadual em 1914.

O campeonato só foi realizado pela primeira vez quase dez anos depois, já sem a existência do Racing. Era composta por cinco clubes principais e mais três ou cinco que integrariam a segunda divisão. Nessa época, o Manaos Athletic Club se orgulhava de ser composto unicamente por britânicos e se consideravam "Os imbatíveis". Neste mesmo período, o desenvolvimento do esporte foi chamando a atenção da elite jovem desportista da cidade.

Os jogos eram realizados nas praças públicas e no bosque municipal, geralmente acontecendo no final da tarde. O "horário nobre" dos jogos era às 16h30, quando os clubes chamados de "primeiros teams" se enfrentavam . Já nos demais horários, se enfrentavam os clubes dos segundos e terceiros "teams". Em alguns casos, os clubes dos teams adjacentes se enfrentavam em horários das 5h da manhã.

As praças e bosques públicos podiam ser requeridos junto à Intendência Municipal pelos clubes, e foi isso que o recém-fundado Athletic Rio Negro Club fez para ter direito a atual Praça da Saudade, onde fazia seus treinos, mandava seus jogos e eventualmente cedia para outros clubes. Nesta época as temporadas duravam quatro meses e não eram consideradas oficiais.

Por volta da década de 10, times como o Manaos A.C. já eram raros, o público interessado pelo futebol era crescente, e o esporte já era divulgado nos jornais locais. O número de equipes era também muito grande, e logo foi considerado o fato de ser necessário um torneio oficial no estado. Por isso, em 10 de janeiro de 1914 foi fundada a Liga Amazonense de Football, para gerenciar o Campeonato Amazonense de Futebol que teria sua primeira edição no mesmo ano.

De 1914 a 1963, período do amadorismo, muitos clubes surgiam e desapareciam, clubes outrora tradicionais e também os ligados à colônias estrangeiras hoje completam décadas afastados do futebol. Casos como o da União Esportiva Portuguesa, que extinguiu-se completamente pouco tempo atrás, afastado do futebol desde a década de 50 e representante dos portugueses, nascido da fusão de dois clubes lusos, um deles o Club Vasco da Gama, que participou do primeiro torneio estadual em 1914. Nesse tempo, surgiam as maiores rivalidades do futebol do estado, das desavenças e brigas pelas taças a partir dos anos 20, surgia o Clássico Rio-Nal e de um importante cisão nos anos 30 o Pai e Filho entre Nacional e Fast, que seria ao lado do Nacional a grande força do amadorismo depois do afastamento do Rio Negro, até os anos 70.

Daí em diante o futebol do Amazonas só cresceu, e teve seus anos áureos no período da década de 60 a meados do final da década de 80, com médias de público entre as melhores fora do eixo Sul-Sudeste. Os dias de Rio-Nal eram sinônimos de casa cheia, jogadores de renome sempre se apresentavam no estado. Além de Nacional e Rio Negro, clubes como Fast Clube e Olímpico Clube também tinham números expressivos de torcedores.

O maior palco do futebol amazonense foi o Estádio Vivaldo Lima, que foi demolido para dar lugar a Arena da Amazônia. Neste estádio foram vistos grandes públicos, histórias foram feitas e estórias propagadas. O futebol amazonense começou a decadência no final dos anos 80, com a criação do Clube dos 13 e o início da chamada "Era Dissica", que perdura por mais de 20 anos e tem como principal marca o afastamento do público dos estádios e a decadência do apoio aos atletas locais, o que tornou o nível técnico do campeonato piorado, cheio de goleadas gigantescas, afastamento de clubes tradicionais.

No ano de 1980, participaram pela primeira vez clubes do interior do estado, estes eram Penarol de Itacoatiara e Olaria de Humaitá, em 1995 o Princesa do Solimões de Manacapuru foi o primeiro a ser finalista do torneio e dez anos mais tarde, em 2005 o Grêmio Coariense foi o primeiro clube fora de Manaus a ser campeão.

Fonte: Wikipédia

Profissionalismo

Profissionalismo

Em 1964, o Campeonato Amazonense tornou-se profissional, apesar de antes dessa data os clubes já pagarem os chamados "bichos" e fazerem contrato e compra de jogadores. O número de clubes aptos a participar do Campeonato caiu grotescamente de mais de 20 filiados para 7 clubes, destes mais de 20 clubes, cerca de 12 nunca mais participaram do Campeonato Amazonense.

Na época do amadorismo o futebol de Manaus tinha bons públicos e excelentes rendas, mas os bons jogadores acabavam por desistir da carreira ou ir para outros centros pela falta de apoio, e mesmo depois do profissionalismo, a maioria dos pequenos clubes do estado contratava o jogador em troca de empregos extra-esportivos em alguma empresa parceira.

Com o profissionalismo o futebol do Amazonas cresceu gradualmente, era um dos mais organizados das Regiões Norte e Nordeste e sempre alternadamente com o Pará tinha as melhores médias de público do Norte e Meio Norte (região que compreende aos estados do Maranhão e Piauí). Na época, Manaus e Belém tinham o mesmo contingente populacional. Os clubes começavam a se sustentar de rendas e criar patrimônios, e por este motivo foi construído o Estádio Vivaldo Lima, que fora o maior palco das grandes glórias do futebol "baré".

Fonte: Wikipédia

Abuda e Alan Bahia reforçam o Rio Negro


Atacante e volante que ainda não balançaram as redes em 2016 são os novos jogadores do Galo.
quarta-feira 27 de julho de 2016 - 10:30 AM
Patrick Marques / portal@d24am.com
Abuda tem passagem por grandes clubes como Corinthians e Vasco.Foto: AE.

Um dia após a apresentação oficial, em Manaus, do ex-atacante do Botafogo, Dodô, como técnico do Rio Negro, na última segunda-feira, a diretoria do Galo anunciou mais duas contratações. Os veteranos atacante Abuda, 30, e o volante Alan Bahia, 33, serão os novos reforços do elenco para o Campeonato Amazonense, que começa no dia 20 de agosto.

Formado nas categorias de base do Corinthians, Abuda teve passagens pelo Vasco da Gama, Náutico, Avaí, Paraná e o futebol alemão, onde defendeu o Wolfsburg e o Beerschot. Natural de São Luís (MA), o atacante se destacou pela Seleção Brasileira Sub-17 na Copa do Mundo da categoria, em 2003, quando levou o título da competição e foi o vice-artilheiro, com quatro gols.

Neste ano, Abuda defendeu o Guarany de Sobral (CE) pelo Cearense e, posteriormente, o Central (PE) pela Série D do Brasileirão. A equipe pernambucana acabou eliminada na primeira fase da quarta divisão, ao terminar em terceiro lugar, pelo Grupo A6. O atacante participou dos seis jogos pela etapa inicial da ‘D’ e não marcou nenhum gol.

Com toda a formação e maior parte da carreira no Atlético Paranaense, clube que deixou, em 2012, o volante Alan Bahia também já defendeu o Goiás e América, de Natal (RN). O último clube dele foi o Paulista da Série A2 do Paulistão, em que disputou 13 partidas e não balançou as redes adversárias.

A previsão para a chegada de Abuda e Alan Bahia, conforme o gerente-geral do Rio Negro, Jofre Santos, é até esta quinta-feira (28). “De base, o elenco do Rio Negro está com 19 jogadores. Estamos vendo as necessidades do (técnico) Dodô, hoje (ontem) ele dispensou alguns (jogadores) que não tinham condições e está pedindo (reforços). Estamos tendo algumas dificuldades por questão financeira, mas o jogador abaixa o preço e fechamos”, explicou Santos.

O Galo estreia no Amazonense, no clássico Rio-Nal, diante do Nacional, no dia 24 de agosto, na Arena da Amazônia.

Fonte: d24am.com

sábado, 30 de julho de 2016

FAF


FAF

A Federação Amazonense de Futebol é a entidade brasileira que controla o esporte no estado do Amazonas e representa os clubes amazonenses na CBF. Foi fundada em 26 de setembro de 1960. Sua representatividade se estende ao futebol amador organizado, organizando as ligas do interior e seus torneios intermunicipais.

Diretoria atual
Presidente: Dissica Tomaz Valério
Vice-presidente: Thales Verçosa
Diretoria Técnica e de Eventos: Lázaro D'Ângelo

Filiações
Interior
A FAF tem afiliadas todas as ligas de futebol amador dos municípios do interior, sendo que promove anualmente e Copa dos Rios, torneio entre selecionados amadores dos municípios, este torneio é atualmente o que mais movimenta públicos de futebol no interior. Além desse torneio, era comum a FAF promover torneios entre essas seleções e os clubes de Manaus.

Capital
A FAF é totalmente desligada do futebol amador em Manaus, não existem ligas de bairro ou clubes amadores filiados. Torneios importantes como o Campeonato Amador do Amazonas, disputado por clubes amadores da capital, foram extintos a partir nos anos 90. Não existem ligas de bairros, clubes ou qualquer tipo de associação amadora ligada à federação do estado.

Torneios como a Copa dos Bairros e um campeonato extenso de times amadores da capital, são promovidos sem grande organização por entidades independentes da FAF.
Clubes.

A FAF atualmente organiza o Campeonato Estadual de Clubes, sendo os níveis:
Profissional Masculino
Junior(Amador)
Juniores(Amador)
Infantil(Amador)
Feminino(Amador)

Atualmente, quinze clubes encontram-se oficialmente filiados à FAF, sendo que todos estão aptos a disputar o Campeonato Amazonense de Futebol de 2016, já que foi determinada a exclusão da Segunda divisão de Futebol, esses clubes são:
  • CDC Nova Olinda
  • Cliper
  • Fast Clube
  • Holanda
  • Iranduba
  • Manaus FC
  • Nacional
  • Nacional Borbense
  • Operário
  • Penarol
  • Princesa do Solimões
  • Rio Negro
  • Sul América
  • São Raimundo
  • Tarumã
Fonte: Wikipédia

ACPEA

ACPEA

Em 2014, 100 anos depois do primeiro campeonato estadual, os clubes profissionais do Amazonas se uniram para fundar aquela que na teoria seria uma associação para resgatar o prestigio do futebol Amazonense, apenas na teoria. 

A Associação dos Clubes Profissionais do Estado do Amazonas promoveu a Copa Amazonas de 2015 e levou o estadual de 2016 para o segundo semestre, o que não acontecia no estado há muitos anos, deixando o Amazonas completamente desalinhado ao calendário nacional.

Fonte: Wikipédia

Todos os Campeões

Campeões

Fase amadora

Ed.AnoCampeãoVice-campeão
1914Manaos AthleticNacional
1915Manaos Athletic
1916NacionalRio Negro
1917NacionalRio Negro
1918NacionalRio Negro
1919NacionalManaos Sporting
1920NacionalRio Negro
1921Rio NegroNacional
1922NacionalRio Negro
10ª1923NacionalRio Negro

1924-1925Não houve campeonato
N.O.1926Rio Negro
Torneio promovido pela FADA, considerado não oficial pela Federação Amazonense de Futebol
Nacional
11ª1927Rio NegroLuso
12ª1928Cruzeiro do SulRio Negro
13ª1929Manaos SportingCruzeiro do Sul
14ª1930Cruzeiro do Sul
15ª1931Rio Negro
16ª1932Rio NegroFast Clube
17ª1933NacionalFast Clube
18ª1934PortuguesaFast Clube
19ª1935PortuguesaFast Clube
20ª1936NacionalFast Clube
21ª1937NacionalFast Clube
22ª1938Rio NegroFast Clube
23ª1939NacionalRio Negro
24ª1940Rio NegroNacional
25ª1941NacionalRio Negro
26ª1942NacionalFast Clube
27ª1943Rio NegroOlímpico
28ª1944OlímpicoRio Negro
29ª1945Nacional
O campeonato foi decidido no tribunal, no episódio que resultou no afastamento do Rio Negro.
Rio Negro
30ª1946NacionalOlímpico
31ª1947OlímpicoFast Clube
32ª1948Fast ClubeBarés
33ª1949Fast ClubeEldorado
34ª1950NacionalFast Clube
35ª1951AméricaFast Clube
36ª1952AméricaFast Clube
37ª1953AméricaFast Clube
38ª1954AméricaNacional
39ª1955Fast ClubeAmérica
40ª1956Auto EsporteNacional
41ª1957NacionalFast Clube
42ª1958SantosAuto Esporte
43ª1959Auto EsporteNacional
44ª1960Fast ClubeAmérica
45ª1961São RaimundoRio Negro
46ª1962Rio NegroNacional
47ª1963NacionalAmérica

Fase profissional

EdiçãoAnoCampeãoVice-campeão
48ª1964NacionalSão Raimundo
49ª1965Rio NegroNacional
50ª1966São RaimundoRio Negro
51ª1967OlímpicoNacional
52ª1968NacionalFast Clube
53ª1969NacionalFast Clube
54ª1970Fast ClubeNacional
55ª1971Fast ClubeRodoviária
56ª1972NacionalFast Clube
57ª1973RodoviáriaRio Negro
58ª1974NacionalRio Negro
59ª1975Rio NegroNacional
60ª1976NacionalRio Negro
61ª1977NacionalFast Clube
62ª1978NacionalFast Clube
63ª1979NacionalRio Negro
64ª1980NacionalRio Negro
65ª1981NacionalFast Clube
66ª1982Rio NegroNacional
67ª1983NacionalRio Negro
68ª1984NacionalRio Negro
69ª1985NacionalRio Negro
70ª1986NacionalRio Negro
71ª1987Rio NegroNacional
72ª1988Rio NegroAmérica
73ª1989Rio NegroNacional
74ª1990Rio NegroNacional
75ª1991NacionalFast Clube
76ª1992Sul AméricaRio Negro
77ª1993Sul AméricaNacional
78ª1994AméricaNacional
79ª1995NacionalPrincesa
80ª1996NacionalCliper
81ª1997São RaimundoPrincesa
82ª1998São RaimundoRio Negro
83ª1999São RaimundoRio Negro
84ª2000NacionalSão Raimundo
85ª2001Rio NegroNacional
86ª2002NacionalCliper
87ª2003NacionalRio Negro
88ª2004São RaimundoGrêmio Coariense
89ª2005Grêmio CoarienseNacional
90ª2006São RaimundoFast Clube
91ª2007NacionalFast Clube
92ª2008HolandaFast Clube
93ª2009AméricaNacional
94ª2010PenarolFast Clube
95ª2011PenarolNacional
96°2012NacionalFast Clube
97º2013PrincesaNacional
98º2014NacionalPrincesa
99º2015NacionalPrincesa
100º2016FastPrincesa